terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Skinhead Girls (1969 )



Skinhead Girl Warrior
Listen to the world, what's the fuss?
Your politics don't mean shit to us
That Skinhead girl with all her pride
Will never run, will never hide
Refr.
Oi! Oi! Oi!
Skinhead Girl Warrior
She speaks her mind
Gets real loud
Knows her roots and she's proud
From the 60's till now
She's fought in the streets
A warrior who doesn't know defeat
Refr.
Oi! Oi! Oi!
Skinhead Girl Warrior
From the eastcoast to the westcoast
Inside myself I can hear the screams
The style all over
It may be different but in our hearts
Its all the same

Don't forget to struggle
Don't forget the streets
We must be united- as one


Fazendo esse post em homenagem as skinhead girls, e o seu valor tradicional dentro do movimento skin.
Vale lembrar que a luta no campo de batalha também é feita por muitas skins girls, como é feito pelos homens.
Pensamentos machistas dentro da nossa subcultura skin não prevalecerá mais. E esclarecer que elas não fazem partem da nossa subcultura para só serem nossas companheiras de role e shows, mas também deixar claro que muitos delas são verdadeiras batalhadoras perante o movimento skin.


video
O movimento Skinhead acabou fatalmente sendo mais impulsinado pelo lado masculino, visto que os anos 60 ainda existia um lado machista até dentro das culturas e cenas, outro diferencial foi a continuidade, o Skins foi uma evolução do Hard Mod, já a Skingirl ou eram as irmãs do Skins ou suas namoradas, a maioria das Mod Girl (66 a 68) acabaram indo pra cena Psicodelica e posteriormente virando Hippies, mas fora isso as mulheres sempre tiveram um papel muito importante na abertura libertação sexual dos anos 60, através das conquistas nas areas trabalhistas e sociais.

As Skinhead Girls, também são conhecidas com "Chelsea Girls", por causa do corte de cabelo, corte esse conhecido como "Feather Cut" (raspado atras, exeto franja e laterais), no visual as marcas classicas foram praticamente as mesmas usadas pela gurizada: Camisas e Vestidos da Ben Sherman, Polos e Vestidos da Fred Perry, Casaco Crombie, Monkeys Boots (Dr Martens), raramente usavam suspensorios, calça Levis ou saia! Outro termo conhecido para elas é "SkinByrds", associado as meninas que não tinham um visual tão agressivo (tentando parecer com os meninos), usando tennis adidas ao invês de Botas "Dr Martens" e o cabelo um pouco mais comprido! Depois do final da cena Skin em 70, teve o surgimento dos Suedeheads e Smooths, as meninas seguiram essa evolução e foram chamadas de Sorts, seguindo a mesma linha estetica que tinham quando SkinGirls - infelizmente não existe nenhum documento acessivel relacionado a elas!

Pela primeira vez, as garotas tinham seu próprio nome enquanto tribo. As Smoothies Girls eram chamada de SORTS.


Na segunda metade dos anos 70 mais duas cenas nasceram interligadas a cultura Skin: as Knucle Girls - que é uma versão Hoolligan feminina, e bem fiel, elas saiam para os jogos pra bater e chegaram a montar pequenas gangues de torcedoras para se encontrar nos pubs - e as Rude Girls que chegaram junto com a cena 2Tone, que tinham uma ideologia anti racista vide a propria proposta que as bandas colocavam em suas letras!

video

█████████████████████████████████████████████

Recopilatorio Skinhead Women Crew - 2 The Skinhead Girl
Este é o 1º volume de uma compilação dedicada às garotas Skinheads, contando com Laurel Aitken, Symarip, On File, Curasbun Oi! entre outros.

Vol.01

01. keltoi - xoven skingirl
02. nota - skinhead girl
03. curasbun oi! - skingirl
04. loikaemie - renee girl
05. gymslips -renees
06. skinflicks - the pride of our scene
07. symarip - skinhead girl
08. cock sparrer - east end girl
09. warzone - skinhead girl warrior
10. oi! the arrase - skinhead girl
11. laurel aitken - rude girl
12. on file - birds don't like the skinheads
13. the busters -sharp dressed girl

Download - http://www.4shared.com/file/97596284/3f9491b1/SKINHEAD_WOMEN_CREW.html

█████████████████████████████████████████████

The Skinhead Girl Crew (Varios - Vol. 02)

A coletania Skinhead Girl e Rude Girls em forma de belissimas canções.

Vol. 02

01. Red London - All The Skinhead Girls
02. The Warriors - South London Girl
03. Swoons - Skinhead Girl
04. Mele Marce - Skinhead Girl
05. Partia - Skinhead Girl
06. Orange Street - Rude Girl
05. 4 Promilem - Jenny
06. The Busters - Rude Girl
07. Evil Conduct - My Skinhead Girl
08. Skalariak - Neska Reggae
09. Blanks 77 - Chelsea Girls
10 Skontra - Son Tus Puños
11 The Tennors - Reggae Girls
12 Doubling Boys - Skinhead Girls

Download: http://www.megaupload.com/?d=0TPYFCRN

█████████████████████████████████████████████

Skinhead Nation - George Marshall (1996)
livro que deu origem ao documentario "World of Skinhead", as pessoas que participaram do livro, nas entrevistas, tambem aparecem nos relatos do documentario - o livro está dividido em 12 partes que falam desde a musica até as origens do verdadeiro Skinhead, escrito por George Marshall, o mesmo do classico "A Biblia Skinhead".

Download [ PDF ]. http://www.easy-share.com/1908453871/Skinhead%20Nation%20-%20Georges%20Marshall%20%28Blog%20A%20Cena%29.rar
█████████████████████████████████████████████

Chelsea Girls

Chelsea: penteado que se popularizou na segunda metade dos anos 60 e está em evidencia até hoje, a palavra “Chelsea” é originada do antigo idioma britanico (Cockney – dialeto e sotaque distinto a outras palavras), está por sua vez da nome a um bairro ingles (situado no centro de Londres), um time de futebol (Chelsea Football Club) e as famosas botas que os Mods usavam (também conhecidas como Boot Beatles). A tradução direta dentro do dialeto Cockney seria “local de desembarque“, mas o nome estabelecido como ”corte de cabelo” está historicamente associado a musica da cantora Joni Mitchell de 1969, “Chelsea Morning“, (Musica: http://letras.terra.com.br/mitchell-joni/258214/). Tradicionalmente é um penteado curto na parte superior atras da cabeça, quase depilado, com a franja curta ou um pouco maior da mesma parte da na parte inferior da nuca (mullets), as laterais das orelhas compridas dando um formato de pena ou pluma, conhecido como “Feather Cut”. Primeiramente este penteado já era ultilizado pelas Mod Girls, influenciadas por cantoras como “Marianne Faithfull”, mas ganhou destaque maior com as Skingirls (ou Byrds), que com o penteado inovador foram frequentemente chamadas de “Chelsea Girls”, o penteado tomou tamanha importancia que quando uma Skingirl queria entrar na cena, os mais velhos pediam que ela utiliza-se um corte bem mais curto que o convencional por um sinal de respeito e iniciação!

█████████████████████████████████████████████

Chelsea e sua definições.


Chelsea: penteado que se popularizou no fim dos anos 60 e está em evidencia até hoje, a palavra "Chelsea" é originada do antigo idioma britanico (Cockney) e que dá nome a um bairro, um time de futebol e as famosas botas que os Mods usavam, a tradução direta seria "local de desembarque", mas o nome como "corte de cabelo" está historicamente associado a musica da cantora Joni Mitchell, "Chelsea Morning". Normalmente é um penteado depilado na parte superior atras da cabeça ou apenas com um corte curto, mas com exceção a franja, laterais perto das orelha e parte inferior atras da cabeça (mullets), as Skingirls (ou Skinbyrds) foram frequentemente chamadas de "Chelsea Girls" por conta de estilo de cabelo que tambem é chamado de "Feather Cut" por ter um formato de pena, pluma ou pincel (laterais).
Na Inglaterra quando uma Skingirl queria entrar na cena, os mais velhos pediam que ela usasse um corte bem mais curto que o convencional por um sinal de respeito e iniciação!



Esta estetica ia acompanhada de um corte que se chamou Chelsea e por isso já podemos saber que é em honra as primeiras skingilrs.

Chelsea Girls - Blanks 77

Chelsea girls have short hair
oxblood docs and jeans of blue
watch out boys, she's after you
with a Fred Perry shirt and
a green flight jacket
that funny girl, she's causin' a racket
listening to blitz and the four skins
vespa scooters not safety pins
always with a drink in hand
or else she pogos with the band

[Chorus:]
Chelsea girls are everywhere
Chelsea girls they have short hair
chelsea girls say Oi! Oi!
chelsea girls like skinhead boys
She's not a hippie spreadin' peace and love
don't give a fuck about the heaven above
she's just a skin shoutin' Oi! Oi!
can't even play makin' lots of noise
listening to blitz and the four skins
vespa scooters not safety pins
always with a drink in hand
or else she pogos with the band.




Symarip - Skinhead Girl

there she goes
swinging down the high street, yeah
hair cut short
boots and jeans
she looked at me and smiled
i know that smile's for me
she was my height my weight my size
she wore braces and blue jeans
she was my skinhead girl (x4)
i made up my mind
i'm gonna be courageous, yeah
her hand in my hand
touch her gentle
she looked at me and smiled
i know that smile's for me
she was my height my weight my size
she wore braces and blue jeans
she was my skinhead girl (x4)

----------------------------------------------------------------------------------
video
Punx e skins saem todas as noites...
Punx e skins sempre vão resistir....
Coturno no pé, cabelo espetado, não ligamos...
punx e skins!
OI!OI!OI!
OI!OI!OI!
OI!OI!OI!

Deixa outro assunto bem importante aqui.
A união entre punks e skins anti-nazifascista tem que ser sempre colocaba em primeiro lugar em nossa batalha. Lutamos pelos mesmos objetivos e enquantos essas tretas e bate-boca continuarem, a escória só tem de aumentar, e aproveitarão a nossa desunião, essas fronteira e divisões subcultual e ideologica devem ser acabada!
Basta se informar um pouco e deixar de ser um ignorante fdp e parti para essa união!


As bandeiras se multiplicam, as marchas partem. Partem-se as barreiras do medo. Medo maior que o que te faz calar, vendo a miséria, o choro, crianças com fome e sem lar. Somos vítimas de um governo insensível, que nos mostra em belas cores um retrato horrível. o Brasil, falsas leis, falsa democracia. Legitimada pela ignorância da maioria que tira seus exemplos da novela, mas não tem negros nem tem pobres ali dentro da tela. Só romance e alegria. Não é esse o país que vejo todo dia!!



█████████████████████████████████████████████

THANK YOU SKINHEAD GIRL


Thank You Skinhead Girl - Trailer from Sharon Woodward on Vimeo.


JÁ AS VENDAS!
(DVD - DO FILME DOCUMENTÁRIO)

http://www.concordmedia.co.uk/details.php?ID=1731

Ela fez o filme em homenagem as skinhead girls.
E eu faço esse post em homenagem a SHARON WOODWARD.
Por ser um exemplo de mulher, e que mesmo com o tempo que passou ela fez um grande trabalho e ajudando a mostrar o que nossa cena skinhead na verdade representa, e quais a influencias que teve e que ficou em sua vida.
OBRIGADO SHARON!



THANK YOU SKINHEAD GIRL
BY SHARON WOODWARD.



"Obrigado SKINHEAD GIRL " é uma fascinante e verdadeira
Filme Documentário / sobre uma menina EX-SKINHEAD estudante, Sharon MS
WOODWARD. Ele destaca os seus dias como uma menina skinhead, com ska
Música, estilo skinhead e 1980. O apogeu da '2 TONE 'música que
JUVENTUDE INTRODUZIDAS EM CONJUNTO preto e branco em tempos difíceis no PRESENTE.
É um filme de Primeira Classe / Documentário ESCRITA, editado e produzido
Por Sharon em pessoa!



Experiência cineastas de estar no cuidado e se tornar uma garota skinhead durante o final dos anos 70 início dos anos 80.

Ele dá a introspecção em uma cultura juvenil sub-rotina que tem sido um dos mais incompreendidos de todos os jovens grupos. O filme mostra a origem histórica do movimento skinhead, a moda, música e a estrutura do grupo em Oxfordshire, no Reino Unido no momento.

Através da voz do cineasta somos levados para a reflexões pessoais da época, que mostra uma garota de classe operária encontrar refúgio dentro do movimento skinhead. Um lugar onde ela cresceu, sobreviveram, prosperaram e, finalmente, aprendi uma lição muito dura desconfortável, por meio da violência.

O filme apresenta músicas de lendas do Reggae 'Symarip, banda de ska The Oxford Pneumáticas e galês Oi! A banda The Oppressed.

Este filme foi habilitado pela Screen Comunidade Sul-financiar projectos e OFVM - Oxford Film Production Equipamentos Award.


Original Formato: DVD / DV
Ano de Produção: 2009
Duração: 45 min
Diretor: Sharon Woodward
Produtor: Sharon Woodward
Executivo / Co-Produção: Richard Duriez, Gary Shenton
Editor: Sharon Woodward
Diretor de Fotografia: Richard Duriez
Som: Dan Goodwin, Lucas Parkyn, Suzy Antes
Música: Symarip, Oxford banda de ska The Insufláveis, galês Oi! A banda The Opressed.

Production Company:
Mischief Pictures
Sharon Woodward / Richard Duriez
www.mischiefpictures.co.uk
rich@mischiefpictures.co.uk

Agente de vendas:
Mischief Pictures
Sharon Woodward / Richard Duriez
www.mischiefpictures.co.uk
rich@mischiefpictures.co.uk

Thank You Skinhead Girl
Synopsis and Credits



Sharon trabalhou no filme há dois anos, embora este não era em tempo integral e todos os dias. Era algo entre 1 - 3 dias por semana, ela fez depois de tudo ter que fazer outro trabalho.
Este foi o primeiro filme feito sobre Skinhead Girls e deve receber algum reconhecimento oficial, por isso vou persegui-lo de qualquer maneira.

Sharon Woodward
Trabalhador Project cineasta independente


||Thank You Girl Skinhead, os festivais de cinema e entrevistando Roddy Moreno||


Sharon diz:

Obrigado Skinhead Girl está sendo exibido no Festival Internacional de Falstaff na 15 ª novembro. Geralmente o feedback que tenho recebido tem sido muito positiva, com muitas pessoas dizendo (especialmente aqueles de fora da cena) que eles sentiram que tinham informações certas para a cena skinhead que de outra forma não teria. Que muitos pensavam novamente e não saltou para as conclusões mais usual depois de ter visto o meu filme.

A outra coisa que aconteceu neste fim de semana é que eu entrevistei Roddy Moreno. Para aqueles que lêem o meu blog regularmente teria me ouvido falar de "The Oppressed" Se você faz parte da cena Skinhead, você saberá quem eu estou a falar. No entanto, para aqueles de vocês que está lendo meu blog, como resultado do meu filme. Roddy Moreno é um cantor com a banda The Oppressed, têm recentemente reformado e está fazendo um selecionados alguns shows.The Oppressed. Para mim foram uma bandeira ou o rótulo que eu pudesse desligar-se e dizer, pelo menos, há uma banda de desafiar o estereótipo do "Skinhead". Eles se recusaram a jogar fascistas em seus shows e fez um stand como um anti-racista.

A outra área é claro para mim e é um que eu tenho um blog sobre antes. É verdade que foi uma área que eu muitas vezes na minha juventude me vi caindo com os homens sobre Skinhead. Foi o feminismo, eu não estou falando sobre o feminismo de classe média branca acadêmica, que a mídia desempenhou sempre para cima e fez uma edição fora, mas o mais porcas e parafusos questões de mulheres da classe trabalhadora.
De que eu preciso dizer Skinhead Girls eram e como eu já disse e defendeu-me, eu acredito que ser um skinhead foi o feminismo de muitas meninas da classe trabalhadora. Roddy Moreno sempre falou da igualdade de 'Homens' e eu estava curioso para saber se a sua posição sobre a igualdade entre homens estendido para 'Mulheres’.

Eu sentir um pouco nervoso sobre o que aborda esse assunto com ele.
Por quê? Bem, eu acho que se você admira alguém que você não quer decepcioná-lo em seguida. Eu ficava pensando se ele acaba por ser misógino completo? Eu não sou o tipo de pessoa / mulher que se senta lá e levá-la. Mas era mais a ver com a admiração, porque eu suponho que em algum nível, eu não quero perder isso.
Eu queria ficar mais amplo perfil de como o homem como eu poderia possivelmente. Ele não saia em torno de perguntas que lhe fiz. Embora eu sentisse que ele estava mais confortável com algumas questões que os outros. Então, sim eu fiz buscá-lo sobre a questão das mulheres e das mulheres na cena Skinhead.
Então, sim, falou sobre o feminismo e sua referência sempre a igualdade de 'Homens' e eu queria saber onde as mulheres tiveram destaque na medida em que seus pensamentos e também as raparigas skinhead dentro da cena. Assim, embora eu não concorde com todas as Roddy Moreno disse e tenho certeza que ninguém ficaria surpreso com a minha dizer isso. Minha admiração por ele que eu sou satisfeito dizer que permanece intacto.

Se alguma coisa foi o seu louvor constante e orgulho que senti como um pai que me conquistou. Infelizmente, ele não disse muito sobre este assunto na câmera como eu teria gostado. No entanto, como alguém que não tinha um pai na minha vida eu fui tocado pela maneira na qual ele falou de seu filho com carinho e amor, enfatizando que ele queria ter certeza de que seu filho sempre se sentia amado.
No entanto, como um certo número de skinheads de idade eu tenho falado sobre o ano passado ele também cuidou de seu filho por conta própria e tornou-se mais domesticado que ele provavelmente gostaria de admitir. Ele é um trabalho gajo skinhead classe e de certa forma eu tem o que eu provavelmente esperava. Onde eu acho que o nosso terreno comum foi que, como me sentia tinha havido uma injustiça na cena skinhead e que a extrema-direita não tinha nada a ver com ser um skinhead que a igualdade das 'pessoas' foi importante para todos.
Eu me sinto como se eu tivesse feito um círculo completo com a minha viagem de nostalgia, e talvez isso vai acabar aqui, mas como The Oppressed, esses blogs apenas continuar a voltar!

Sharon Woodward
Projeto / Trabalhador cineasta independente


Feedback sobre Obrigado Skinhead Girl

Algumas semanas atrás, um Swan Sean Professor da Universidade Gonzaga, em Washington mostrou o meu filme "Thank You Skinhead Girl aos seus alunos.
Ele escreve:
"'Ser um skinhead foi o feminismo de classe garotas de trabalho", assim escreveu independente cineasta Sharon Woodward.' Thank You, Skinhead Girl 'é autobiográfico conta a Sharon de seu tempo como uma garota. Olhando para trás de um quarto de século depois, Sharon acredita que ela não seria a pessoa que ela é hoje se não tivesse sido para o seu tempo como um skinhead, e que a ajudou a lidar com seu passado familiar conturbado e tempo no atendimento.
Ele também dá um interessante relato em primeira mão sobre as origens do movimento skinhead original 1969 como uma convergência entre a música ea cultura dos imigrantes da Jamaica e da cultura da classe trabalhadora Inglês.

Eu estava realmente muito levado de volta com a reação e senti que gostaria de compartilhar algumas destas com você. Uma vez que muitos de vocês têm vindo a acompanhar os meus blogs e, posteriormente, o making of do filme.

O que segue são alguns dos ensaios e trechos de ensaios que foram realmente interessante para mim ler.

Alunos (1)

Obrigado Skinhead Girl

Woodward Sharon dirigiu e produziu "Thank You Skinhead Girl", a fim de educar as pessoas sobre o movimento skinhead, que Woodward considera-se muito mal. Eu acredito que Woodward tem um negócio de credibilidade, porque ela era um skinhead e experientes do movimento a partir de dentro, durante a sua importância.

Durante a introdução do filme, fiquei um pouco surpreso. Eu não poda acreditar que Sharon era um ex-skinhead baseado fora de primeiras aparições. Tendo crescido à sombra de uma grande área metropolitana, primeiro concluiu que ela seja uma clean-membro redução média da classe média. Se eu fosse a correr para ela nas ruas de Portland, a primeira impressão que eu iria receber seria a de uma mulher da classe trabalhadora, definitivamente não skinhead anterior. Eu também aprendi muito sobre o movimento skinhead, enquanto a ver este documentário. Eu sou um pouco envergonhado de admitir isso, mas eu não sabia que o movimento skinhead se originou no Reino Unido. Eu sempre tive (e arrogante) assumiu que o movimento skinhead foi um fenômeno exclusivamente americano.

Nunca aprendi tanto sobre skinheads crescendo, como era um assunto tabu e não na minha casa e minha verdadeira exposição só estava vendo os skinheads em minha cidade natal, os quais são membros de movimentos radicais poder branco (que eu havia assumido que os skinheads eram inerentemente racista). Achei fascinante que os inquilinos núcleo do movimento skinhead antecipada consistia na mistura de estilo de música jamaicana e britânica e da cultura (como o reggae), assim como eu também era interessado nas origens do movimento skinhead entre a classe trabalhadora da sociedade britânica.

A revelação de que os skinheads originais não estavam interessados na raça ou na política definitivamente me fez reavaliar minha opinião sobre todo o movimento skinhead. Também gostei da maneira Sharon Woodward entrevistou ex-integrantes do movimento skinhead. Tal como acontece com Sharon, eu nunca teria imaginado que algumas das pessoas que jamais haviam pertencido a um tal movimento. Mas as entrevistas revelaram uma pessoal e sincero lado mais a cada um dos ex-membros, e estou convencido de que quase todos os membros (durante o movimento original no Reino Unido) juntou-se simplesmente de encontrar um lugar que poderia caber em encontrar e camaradagem , como evidenciado pelo o comentário de Sharon "Os homens skinhead me tratou como uma irmã mais nova - Eu me senti mais segura em torno dos homens skinhead então não." Parece-me que a questão da política raça só entrou em cena mais tarde na história, particularmente nos Estados Unidos Estados, onde o skinhead "termo" ainda atrai conotações muito negativas. No entanto, eu teria gostado de ver mais de uma ênfase e um enredo que ilustram como e porque o movimento skinhead se transformou em questões sobre a raça.
----------------------------------------------------------------------------------
Sharon
Eu brinquei com isso, porque é engraçado quando você receber feedback sobre a forma como as pessoas vêem você. Considerando minha experiência eu sempre acho engraçado quando as pessoas pensam que eu sou de uma família de classe média. Tenho sido muitas vezes provocado pela minha voz e foi dito que o som elegante. Isso não me incomoda Eu tenho certeza que anos estudando e mistura em outra empresa não tem dúvida alargado meu vocabulário e que eu vou fazer? Coloque em um sotaque! No entanto, é interessante as respostas que obtemos e os pressupostos que fazer com as pessoas eu me incluo nessa também, tenho certeza que mais uma vez que eu pulei a conclusões sobre uma pessoa.
----------------------------------------------------------------------------------
Alunos (2) Extrato de Ensaio

"Skinhead Girl"

racista, agressivo, violento, drogado, vingativo e imoral: estes são os termos que me vêm à mente quando ouço "skinhead". Ler sobre o movimento nazista na minha escola a história da classe alta, bem como de prestar atenção " American History X ", eu só tenho sido exposto à visão americana de um skinhead. No meu entendimento, skinheads americanos são gangues racistas, que são indiscutivelmente visto como o moderno Ku Klux Klan. O objectivo destes skinheads era continuar o movimento nazista de criação de uma sociedade branca, tudo. Embora estes skinheads tinha uma meta de destruição, este documentário mostra que este é o completo oposto da verdade.
Assustada, vulnerável, sozinha: estes são os termos que eu usaria para descrever a Sharon, uma garota. Parece que ela era uma garota skinhead para encontrar sua identidade. Ela viveu e respirou tudo o que ela achava que deveria ser uma garota. Ela tinha uma visão distorcida dos homens e forma como a sociedade deve tratá-la como uma mulher. Ela encontrou conforto na aparência de um homem, ela encontrou conforto em ser capaz de se esconder por trás de um movimento. Ela não era racista, agressiva ou violenta. Ela queria ser parte de um grupo.

O sentimento de pertença e envolvimento da comunidade parece ser a espinha dorsal desse movimento cultural. A necessidade de corte de se sentir como se pertence parece ser o objectivo destes skinheads. Eles não estavam se formando para eliminar uma raça ou de ódio por ninguém. Parece que todos estavam perdidos e encontrou conforto em ter outro. Sharon várias vezes referido como ela descobriu o orgulho que ela nunca tivera em si mesma durante seu tempo como uma garota. Gangues, bem como outros grupos fornecer uma saída para aqueles que nunca sentiram um senso de comunidade antes. Provavelmente esta é uma parte da sociedade civil. Apesar de ter uma sociedade civil vibrante necessário para qualquer país deste grupo traz um sinal positivo de uma maneira diferente.

Embora pareça que o seu objectivo era trazer comunidade, parece que, para além de que eles não têm muita finalidade. Sharon não se aprofundam muito sobre o que eles realmente fizeram em um-a-dia-dia além de pendurar ao redor da Praça Bona, roubar o mercado local, e tirar fotos. Eles eram inofensivas. A única prejudicial ou violência que ocorreu foi entre gangues skinhead principalmente o que parecia ser conversa de criança. Era realmente apenas uma saída para essas meninas para encontrar um lugar onde eles realmente montado dentro. Eles não tinham nenhuma agenda política ou social, e agora os restos das botas Dr. Martin e cabeças raspadas, o cabelo tingido é slim. Eles desbotada que os membros encontrados outros estabelecimentos e comunidades para participar.
O documentário moldado meu ponto de vista de um skinhead. Já não vou pensam automaticamente de violência, raiva e destruição. Encontrar o seu lugar na sociedade e me sentindo como suas matérias existência é uma necessidade humana. A sociedade civil oferece isso. skinheads O que ofereceu a Sharon.
----------------------------------------------------------------------------------
Sharon
Mais uma vez eu achei isso interessante, pois muito ainda não tinha sido associado com a Grã-Bretanha e da cultura histórica do movimento Skinhead. Esta foi de fato muito agradável sentir que estes jovens tinham sido capazes de assistir meu filme e estar de mente aberta o suficiente para refletir sobre ele e ver que só tinha sido apresentado com uma versão, uma imagem da cultura juvenil sub.
----------------------------------------------------------------------------------
Student (3) Extrato de Ensaio:

A primeira forma em que fiquei impressionado com o filme foi aberto e honesto como Sharon estava em compartilhar suas experiências passadas. Isso me permitiu ver o grupo a partir de um ponto de vista diferente e aumentou meu conhecimento do grupo. Eu tinha pensado sempre de skinheads como sendo todos do sexo masculino, com talvez algumas mulheres na ocasião. Desde que eu tive esta idéia preconcebida, eu estava me perguntando por que uma garota gostaria de participar de um grupo skinhead e como muitas outras meninas se juntaram ao grupo. abertura de Sharon sobre seu passado deu uma resposta clara a esta pergunta. Considerando a sua vida difícil em casa durante a sua infância era fácil ver que um grupo como os skinheads teriam oferecido anonimato e proteção. Eu soube que não havia realmente gangues skinhead, que consistiu completamente das mulheres.

Depois de alterar a minha opinião sobre esses dois aspectos do grupo, que ainda questionou por que o grupo existiu e onde o racismo entraram em jogo. Fiquei chocado ao ver que não havia negros na verdade em vários grupos skinhead e as origens do grupo remontam à Jamaica. No começo eu achei a música que acompanhava o filme estranho, porque tinha um reggae pesado sentir, até que eu aprendi que o grupo se originou. Os grupos skinhead não se originou como um movimento social com a intenção racista, mas sim, era mais de uma cultura de indivíduos unidos na música que ouvia, a forma como se vestiam, e os seus estilos de vida.
Agradeço a Sharon para unir um filme que ilustra um quadro muito diferente de skinheads que o que eu já tinha visto. Eu era capaz de ver uma cultura de povos que compartilham um estilo de vida comum que pode ter sido único, mas estava longe de ser um grupo de ódio racista. Embora alguns grupos racistas podem chamar-se skinheads no mundo de hoje, seria injusto associar todos os skinheads com este rótulo. Eu era capaz de ganhar a introspecção no fundo, estilos de roupas, e estilos de vida global de muitos skinheads precoce através da observação 'Thank You, Skinhead Girl ".

----------------------------------------------------------------------------------
E, finalmente, eu gostaria de entregar um resumo sobre o número de estudantes 4
----------------------------------------------------------------------------------
Aluno (4) Extrato de Ensaio

Este filme foi realmente agradável para mim e eu estou feliz por ter tido a oportunidade de vê-lo. A história que ela disse foi que era fácil para os jovens se relacionar de alguma forma. De alguma forma crescente até se quer pertencer a algo e sentir parte de algo, de alguma forma e, embora as pessoas não podem participar de algo tão conhecido como skinheads, eu tenho certeza que de alguma forma as pessoas entendem por que ela se juntou ao grupo skinhead. Ele também abriu meus olhos para muitas coisas, especialmente esta idéia de que existem muitos tipos diferentes de grupo em uma cultura ou movimento e nem sempre são as mesmas, as pessoas nem sempre se juntar, pelas mesmas razões, e elas podem ser tanto positivos como negativos ----------------------------------------------------------------------------------
Obrigado a Swan Sean e todos os seus alunos adorável que foram tão gentis o suficiente para comentários sobre o meu filme.
Sharon Woodward.


█████████████████████████████████████████████

THANK YOU SKINHEAD GIRL
BY SHARON WOODWARD.


Roddy Moreno Entrevistas


Parte. 01
Sharon Woodward fala de Cardiff com o cantor do País de Gales Skinhead Oi! A banda The Oppressed do Roddy Moreno. Para aqueles não familiarizados com a cena Skinhead, Moreno era conhecido por sua posição contra a extrema-direita e depois para a introdução SHARP (Skinheads Against Racial Prejudice) no Reino Unido.
Nesta primeira parte da entrevista, Moreno está no território conhecido como ele fala dos primeiros dias com The Oppressed e sua experiência de lidar com o equívoco comum do estereótipo skinhead.



Parte. 02
Na segunda parte da entrevista de Moreno, estamos a tratar de suas opiniões sobre 70 e 80 de comédia britânica como Love Thy Neighbour e seus pontos de vista sobre Direitos da Mulher (vê-lo recuar!).

Na série seguinte Moreno fala de uma forma não costumam ser ouvidas.

Parte. 03
Parte terceira parte do Roddy Moreno da entrevistas, o cantor do País de Gales Oi! banda The Oppressed e do homem que liderou SHARP (Skinheads Against Racial Prejudice) aqui no Reino Unido, fala com o cineasta Sharon Woodward sobre seus dias de escola, educação, religião e, claro, The Oppressed.


Parte. 04
Esta é a parte 4 deste estilo de entrevista coletiva com Sharon Woodward. Roddy Moreno nascido em Cardiff, dá-nos a introspecção em seu despertar sexual, seu amor de Reggae e suas tatuagens.



"Nenhum dos verdadeiros skins pode ser racista. Sem a cultura jamaicana, os skinheads não existiriam. Foi a cultura deles, misturada com a cultura da classe operaria britânica, que fez do skinhead o que ele é."
(Roddy Moreno, fundador do SHARP na Grã-Bretanha)




The Oppressed - Skinhead Times
you think you got it made
but you don't pay the price thats paid
and when the chips are down
you never seem to be around
you always talk it
but your too afraid to make a stand
you never walk it
in your mixed up skinhead wonderland

what ever happened to our culture
and where have all the bootboys gone
in skinhead times

and now the the time has come
no place to hide, nowhere to run
we see you know the score
so which side are you fighting for
if you ain't man enough
to stand up and defend your roots
maybe it's time for you
to grow your hair and lose your boots

what ever happened to our culture
and where have all the bootboys gone
in skinhead times




3 comentários:

Alita Sieburger disse...

Achei teu post muito legal, muita coisa que eu não conhecia e que agora to sabendo hehehe, muito legal o teu Blog.Anti-racismo ja!To no time xD
Alias queria divulgar meu Blog aqui, http://www.korrosionoi.blogspot.com
Valeo (:

Carolina disse...

muito bom o post, muita coisa, parabéns!

Pitter Garrigos disse...

so acho que deveria ter mais som nacional!!! so acho