segunda-feira, 23 de abril de 2012

Punk e Skins, até quando iremos calar à essa união?

Enquanto vocês camararas, PUNKS e SKINS colocarem em 1º lugar sua rixinhas sujas e mediocres, NADA IRÁ MUDAR, E NUNCA EXISTIRÁ AO NOSSO LADO UMA CENA DE VERDADE!!


''Se você não é homem suficente para se levantar e defender suas raízes, talvez está na hora de deixar seu cabelo crescer e pendurar seus boots.''

Reconheço que tem pessoas que realmente fariam algo pela cena, pela sua, nossa cena SKINHEADS DE VERDADE E ANTI-NAZIFASCISTAS. Esta na hora de colocar para fora seu espírito de anti-conformismo e ir a LUTA!!

Tantas leituras,rolês e ideias...EU SÓ ENXERGO UM GRANDE AR EM MASSA DE CONFORMISMO.
Está na hora de sair de cima de muro e lutar pelo o que você diz ser e acreditar!!

█████████████████████████████████████████████

Não SEJA MAIS UM SECTÁRIOZINHO DE MERDA ESPALHANDO E COLABORANDO COM AIGNORÂNCIA!

Para as pessoas que saem por ai falando besteira, e que skin são todos iguais, e que street Punk Oi! é som de fascistas só porque tem um cara de cabeça raspada na banda.
INFORME-SE!!

Sabemos que tem alguns grugos, gangues, movimento ou "cena" que defendem o RAC (já que são anticomunistas): "Rock Contra o Comunismo!". Vale citar também algumas bandas e músicas que nos chamam a atenção:
"Ataque 32 - Fora punk's" (conhecida banda CB de tendência fascista, o Ataque 32 são contrários à união de punks e skins, ou seja, são contrários ao Oi!).
"Comando Blindado - Judeu bom é judeu morto!" (anti-semitismo explícito, posto que não se referem aqui à ideologia racista de Israel, o sionismo, mas à etnia judaica."Volta à CCC!" (CCC = Comando de Caça aos Comunistas, orgão oficial de repressão da ditadura militar contra a militância de esquerda).
Entrevista dada ao "Skinhead Crew" a notória banda careca "Ataque 64" (clara apologia ao golpe militar de 64), afirmou com toda a sobriedade que duas das bandas que mais adora e que o influenciou musicalmente foram o Condemned 84 e a banda Skrewdriver .


A única diferença de pessoas fascistas, grupelhos facho ou "skins" FASCISTAS com os White Power's (nazistas) é na questão racial, mas o resto é a mesma coisa: homofobia, nacionalismo, defesa dos valores cristãos, defesa de um estado fascista, repressão aos movimentos sociais, defesa da ditadura militar e do CCC (Comando de Caça aos Comunistas), perseguição a punks, comunistas e anarquistas etc.

Ou seja: CONSERVADORISMO DE DIREITA EM NOSSA CULTURA PREJUDICA MUITO A CENA SKINHEAD EM GERAL!

NÃO CONFUNDA RAC = A SOM DE FACHO, COM música Oi, união entre punks e skins anti-nazifascista,OK?!

É preciso da CONSCIENTIZAÇÃO, é preciso combater e debater com aqueles que fingem não enxergar o que se passa a sua volta.


SKINHEADS...LEMBRE-SE DA SUA ESSÊNCIA!!!!!

█████████████████████████████████████████████

||Oi! Oi! Oi!||

STREET PUNK OI! = União da classe trabalhadora


Como a formação do próprio nome diz, o street punk é na essência o punk rock das ruas, ou seja, aquele punk rock livre dos modismos que dominaram boa parte das bandas punks no final da década de 70, atraídas pela possibilidade de fama e fortuna, principalmente em mercados com o dos EUA.

Enquanto bandas como Sex Pistols, Generation X e Buzzcocks se popularizavam, viravam a coqueluxe e começavam a se transformar em produtos nas mãos de empresários gananciosos, nascia nos extremos de Londresum novo levante que pretendia fazer com que o som feito pelos punks fosse realmente a "voz das ruas", daí o nome street punk, que era a denominação do punk "raíz", um punk mais arruaceiro, típico dos pubs ingleses.
Bandas tipicamente punks como o UK Subs, Slaughter & The Dogs, Anti Nowhere League, 999, The Crack, Lurkers, Vice Squad e até mesmo (e principalmente) The Exploited, faziam a trilha sonora deste som das ruas, que logo sofreria algumas influências, se consolidando como street punk.
Entre 1978 e 1979, era chegada então a hora e a vez da safra de ouro do street punk, ou seja, a época do nascimento, ou mesmo aparecimento, de bandas como Cockney Rejects, Sham 69, Cock Sparrer, Peter & The Test Tube Babies, Menace, Angelic Upstarts, 4 Skins, The Business, Last Resort, Blitz, Infa Riot, Red Alert, Partisans, entre outras.

Com o tempo, o street punk também passou a ser chamado de Oi!, por causa de uma música do Cockney Rejects, "Oi! Oi! Oi!", de 1980. Cockney Rejects? Será que vocês já ouviram falar dessa banda? Provavelmente sim, mas muito provavelmente não! Veja mais adiante um pouco da história da banda.
O street punk tradicional é apolítico, como deveria ser toda a cena punk. Nem esquerda nem direita. O street punk é um estilo de vida, é algo de muito real pois lida com o dia-a-dia, tem a ver com as ruas, com o trampo, camaradagem, união, estar alerta para o que nos rodeia e “odiar política”. Mas isso tudo hoje nada tem a ver. Uma pessoa comum pode muito bem curtir street punk somente pelo som e pela energia dos shows, que no caso das bandas de street punk, são sempre muito alucinantes e agitados!

A palavra "hooligan" esteve sempre associada ao street punk inglês, mais de certa maneira foi deturpada. Hooligan seria simplesmente um "arrruaceiro". Eram os mods, hard-mods, suedeheads, bootboys, skinheads ou mais abrangentemente: os malucos e gangues da rua. Estes hooligans tinham o culto da rua, do futebol, dos copos. Mas não procuravam desesperadamente a violência, simplesmente não a evitavam.
Parece que hoje em dia para um hooligan tem que obrigatoriamente haver sangue. Já haviam hooligans antes de se infiltrarem no futebol, inclusive bandas de ska jamaicanas tinham letras sobre os chamados "arruaceiros". No caso da Jamaica eram os rude boys que entravam em conflitos com a polícia.
O street punk também foi muito associado aos skinheads e isso resultou numa salada musical e ideológica realmente infernal. Voltando um pouco na história, no final de 77, começo de 78, temos um racha no punk, semelhante ao que houve no mod nos anos 60: parte do movimento segue um direcionamento mais "artístico" (originando o pós-punk, new wave, gótico, etc), e outros pegam mais o lado agressivo, rueiro e suburbano (o "street punk", mais tarde apelidado de "Oi!"). Essa leva de punks mais "crus", têm como guia o Sham 69. Jimmy Pursey, vocal do Sham, era skin no começo dos anos 70, e a banda tinha um grande público skinhead. Desta forma, começa a se multiplicar uma nova geração de skins, influenciados pelo punk e ouvinte de punk rock, com um visual menos bem arrumado do que os skins originais. Os skins "tradicionais" diziam que estes eram apenas "punks carecas", pois não tinham noção alguma sobre as tradições do skinhead.
De um outro lado, nascia na Inglaterra o "skinhead nazista", tão conhecido pelo mundo todo. No entanto, a maioria dos skins continuava sem um direcionamento político definido, longe dos fascistas. Sabe-se que nesta mesma época (1979), havia uma turma de skins em Londres chamada "S.A.N."- "Skinheads Against Nazis", que queria eliminar a influência dos neo-nazistas. Bandas de punk rock com membros skins, como os Angelic Upstarts, eram assumidamente esquerdistas e se opunham ao National Front (Partido Nacionalista Inglês) com veemência!
Mas como é de costume, a mídia sensacionalista começava a chamar todo skinhead de nazista, e o que é pior, todo jovem nazi de "skinhead". Com isso, a extrema direita só conseguiu novos adeptos e os skins "white power" (poder branco) aumentam em tamanho e importância. Mas mesmo assim estavam longe de ser maioria. Em 1980, o punk estava em baixa, tendo sido transformado em new wave e vendido em butiques. Mas nos subterrâneos, muitas bandas de "punk real" estavam na luta. A maioria delas era influenciada pelo Sham 69 e outras bandas street, faltando apenas um nome para uní-las.
Eis que o jornalista Garry Bushell, chama este novo movimento de "Oi!", por causa da música dos Cockney Rejects "Oi! Oi! Oi!". O Oi! tinha como ideal ser uma revitalização do punk agressivo, realista, das ruas, sem a comercialização e a suavização da new wave. Era a música que segundo Bushell, unia "punks, skins e toda a juventude sem futuro". Logo organizaram a primeira coletânea Oi!, com os Cockney Rejects, 4 Skins, Angelic Upstarts, Peter & the test Tube Babies, Exploited e outras bandas, formadas por punks, skins e "normais".

Foram feitas várias outras coletâneas Oi! a partir daí, e muitas bandas apareceram. Então, apesar de no Brasil as pessoas pensarem que Oi é "som de careca", ou que bandas Oi devem ser de direita, isto não passa de preconceito. O Oi! nada mais é do que um estilo de punk rock de volta às raízes, mais ligado à rua, ao realismo social. Nada a ver com à extrema direita. A maior prova disso é a adesão original de bandas como os UK. Subs ao Oi!, e o fato do The Business (uma das maiores bandas Oi), tocar um cover do Crass, banda ícone dos anarcopunks, eternos rivais dos skins fascistas!

Enfim, a grande maioria das bandas ou era de esquerda ou era apolítica. Entre as bandas Oi originais, não havia nenhuma que fosse nazi.

Algumas bandas pioneiras no Street Punk Oi!

CAMARADA - Glória das Ruas
Glória das Ruas


Nas ruas da minha cidade eu vejo sangue e morte
O corpo já cansado das batalhas e a mente forte
Mas o inimigo não dorme,e a guerra esta por vir
O campo de batalha me chama e eu não vou desistir

Pela glória das ruas
Punks e Skins,Oi!

Nas guerras que já venci o final eu sei de có
Os fracos caem de joelhos e que vença o melhor
Aos que querem nos dominar não teremos piedade
Debaixo de nossas botas a mais pura crueldade

Pela glória das ruas
Punks e Skins,Oi!

Nesta luta poucos se atrevem a perder sua vida
Se a morte vim,será doce,honrosa minha partida
Enquanto ela não vem para mim,a sua vem com dor
Na hora da sua desgraça nos seus olhos verei pavor

Pela glória das ruas
Punks e Skins,Oi!

Punks e Skins,como soldados unidos marcharão
Aos que foram aquilo fadados,a vitória terão
Com moicanos ou não,seguiremos nossa peleja
Desejando a cabeça dos inimigos numa bandeja

Pela glória das ruas
Punks e Skins,Oi!




█████████████████████████████████████████████



A origem do movimento Oi! e o significado do termo ( Oi! Oi! Oi! )
(movimento que prega a união de punks e skinheads antifascistas)
O Oi! foi um movimento autêntico som de rua em seu melhor momento. Era, quiçá, a primeira vez em que os caras do palco pertenciam à mesma turma do pessoal da pista de dança. Antes da gig, as bandas bebiam no mesmo bar e jogavam uma sinuquinha com seus próprios fãs e colegas. Era como que um povoado por gente igual a qualquer, que se cruzava na esquina. Muitos poderiam feito fortunas, como fofoqueiros ou comerciantes, e alguns fizeram mesmo.
Antes do Southall, o Oi! tinha tudo para se firmar e dar certo. O nome desse gênero musical tinha sido tomado duma música dos Cockney Rejects ( Oi! Oi! Oi! ) e se devia à insistência do vocalista Stinky Turne em repetir esse grito em vez do costumeiros "Um, Dois Três..." no ínicio de cada canção. Acabou virando um grito de guerra para as novas bandas punks rueiras que vieram na trilha da Sham e seus amigos Rejects e Uppstarts.
Bandas como Sex Pistols, podem ter sido relevante ao seu papael histórico, mas se o som punk abriu algumas portas para qualquer garoto que estivesse uma guitarra e alguma pose, o Oi! veio para arrancar essas porta de sua dobradiças.
O cara que deu o nome de Oi! ao movimento foi o ex-empresário musical Sounds, Garry Bashell. Ele tinha se calejado participando de vários fanzines punks, inclusive o quase célebre Napalm, e se destacou como uns dos poucos jornalistas com sensibilidade e interesse pelo que rolava nas ruas em matéria de música. Quando outros críticos resolveram ir com o milho, ele já voltava com a pipoca.
Segundo o Brennan & Pryor, respectivamente baixista Business e do dono da link Record, o movimento era para ser chamado re Real Punk, por oposição ao diluído e falso punk da new wave, que sucedeu a primeira leva das bandas ( liderada pelos Pistols e revitalizada pela Sham 69). O nome fazia sentido, por causa da segunda relação liderada pelo Exploited, que proclamava "Punk's Not Dead!". Mas era um nome postiço, e a canção dos Rejects tinha um grito mais forte e expressivo, que pegou. ( Oi! Oi! Oi! )
O Oi! É a voz de todos os moleques de rua em toda parte, espécie de linguagem universal.



█████████████████████████████████████████████

TEORIA Anarquia.

Anarquia não é só ter "atitude", ir lá e colocar para quebrar como muitos pensam.
Anarquia também é agir com um pouco de lucides, e antes de você querer "mudar o mundo" é se dar conta que também é parte dele.
Você não pode obeservá-lo do lado de fora.
Não deixe pensamentos como dos ignorantese e pelos adversários interessados em distorcer a verdade, parecerem verdadeiros... que dizer que Anarquia é usada universalmente para designar desordem e confusão.
A interpretação usual da palavra não exprime o verdadeiro significado etimológico, mas deriva dele.

Concerteza é muito mais do que falar fodasse a política, fodasse o estado, fodasse a polícia e fodassee os skins, como muitos anarcos sectários dizem.
E concerteza também é algo mais impornte do que fazer o símpolo ( A ) Anarquia e sair pixando as ruas, e quebrando as lixeiras, como muitos fazem.

O sentido da ANARQUIA é a proliferação do respeito ao povo, rebeldia, contestação onde os caminhos para um convivio social onde impere a justica, a liberdade e a paz!

A teoria é ótima, mais enquanto o Estado nos oferecer esses métodos de merda em relação a da um bom conhecimento de estudos que levem o ( POVO ) a crescer como ser humano e faze-los RECONHECEREM DE VERDADE O QUE É O MELHOR E MAIS IGUAL PARA TODOS, NADA DISSO FARÁ MUITO SENTIDO.
Ao invés de ter mais uma ideologia que possa levar ao povo à algum fundamento positivo, muitas das vezes acaba se tornando mais uma ideologia fascista, porém de esquerda!


Não é impor nada a ninguem, só porque ela é "diferente" de você, e apesar de ter os mesmo objetivos e finalidades, muitas pessoas involvidas da cena punk e skin se oculta junto com seu estilo e pensamentos e muita vezes oprime a outra pessoa, pelo estilo ou por alguns momentos dificeis de sua cultura ou subcultura que a pessoa apoia esta passando.

E UMA CRÍTICA AOS PENSAMENTOS ANARQUISTA DE MUITOS... COLOCO ESSA LETRA DE UMA BANDA QUE SABE MUITO BEM O QUE ESTA ESCREVENDO.
Dead Fish- Anarquia Corporation
Anarquia corporation industria e comércio
Acho que já sei o que você quer,
Mais uma regra pra seguir, Constituição anárquica
feita pra outra minoria dominar
não há mudança só alternância de poder
discriminado hoje descriminador amanhã
mudança onde? aonde cidadão
Anarquia coorporation, não me diga o que falar
Se for assim é melhor esquecer
pensar direito no que venha a ser este ideal
Fascismo e violência travestidos com o A
Nada de amizade, consciência e educação
Não dá pra compreender, nem me entender
Então usarei a mesma formula pra viver
Não quero olhar pro lado, não quero nem te ver
Compartilhar pra que? Eu sou eu, sou eu
Milhares de teorias, milhões de ideologias
todas parecem sempre cair no mesmo lugar
Anarquia coorporation, por favor, não me diga o que usar
Fascismo e violência travestidos com o A
Será que o Freire vai entender
ou sua proposta distorcer?
Onde está o pensamento de paz e União?
E sobre a revolução?
Anarquia corporation.... Anarquia corporation....
Não me diga o que Falar
Anarquia corporation.... Anarquia corporation....
Não me diga o que usar



PARA OS SECTÁRIOS ESSA FRASE VAI DIRETAMENTE PARA VOCÊS!!

Fascismo e violência travestidos com o A

_|_

█████████████████████████████████████████████

Execradores - Por que morrer?

Ganguismo por todos os lados , regionalismo idiota...
O anarquismo deturpado só vejo gente morta, o sistema é o culpado...
Policia de tocaia...
Somos todos fardados pela ordem do estado...
Porque morrer porque morrer, lute e sobreviva...
Jovens contra Jovens o estado a sorrir , brigas no movimento não sabemos como agir , liberte-se da sua gangue faça ação a luta é contra o estado e não contra os seus irmãos...
Porque morrer porque morrer."


█████████████████████████████████████████████

7 comentários:

Algar disse...

KKKKK, nunca li tanta merda.
Skinheads e punks nunca poderam andar lado a lado, questão de cultura, a do skinhead sempre teve inclinação fascista, desde o começo isso é inegável, por mais que não houvesse um racismo dentro da cena havia xenofobia, homofobia, sentimento nacionalista idiota, coisa jamais aceita no punk, isso esta em relatos de skins da época mesmo, e logo depois o colapso dentro da cena mesmo, culto a virilidade, logo, a misoginia, parem de tentar ser punks, e não existe oi punk isso se chama oi music pra quem escuta punk, ok?
Nem oi, nem claro, nem tim, nem vivo, pra fascista eu não ligo!

Felipe Maçaneiro disse...

Cala a boca Algar. Eu e o meu primo somos PUNK e apoiamos e tambem curtimos os skins se voce quer falar primeiro conheça. Music OI teu cú é PUNK OI. Skin não tem nada a ver com nazismo. Enfia essa operadora junto com o Music OI no Cú.

israel silva disse...

Os cara vem em blog oi promover sectarismo e desunião! TEm nem o que fazer!

julio cesar disse...

comunismo=fascismo

julio cesar disse...

comunismo=fascismo=nazismo=racismo

Sharlles Shaiel disse...

Aiii o cara bota a porra dum suspensório de moicano levantado ....pra mim isso é tentativa de fazer uma fusão tipo no dragon ball saka? Kkkk

Tonikilla disse...

Não cara, como tu é burro!
Eu não entendi muito bem, vc fala duma maneira burra kkkk passa um pouco de azeite extra virgem nessa alfafa